5 de jul de 2012

mais uma polemica sobre prostituir na frança esta materia saiu agora na domingo dia 24 de junho‏

Prostitution : Faure met en garde contre les risques d'une position abolitionniste,A vontade afixada por Najat Vallaud-Belkacem de abulir a prostituição começa a provocar um debate à esquerda. O ministro dos direitos das mulheres tinha afixado esta posição e tinha desejado ver a França dar-se os meios desta abolição, no Jornal do Domingo do 24 de junho.
Explicando que trata-se de proteger a imensa maioria das prostitutas, o porta-voz do governo tem anúncio uma conferência de consensos sobre o assunto. Em dezembro de 2011, a Assembleia nacional tinha adoptado uma proposta de resolução que reafirmava a posição abolicionista da França, primeiro passo para a penalização e multas para os clientes,
Certas associações de defesa das prostitutas como o Ninho imediatamente tem feito parte da sua satisfação na frente de esta afixação governamental. O movimento ousam o feminismo cumprimentou a coragem da Sra. Belkacem. Mas a unanimidade durou apenas um tempo. Segunda-feira 25 de junho, Olivier Faure, deputado PS de Seine-et-Marne, explicou que se a intenção fosse honrosa, atenção ao posto em lugar de tais medidas.
Antigo o conselheiro especial de Jean-Marc Ayrault considera que tal posição comportava riscos como o que ver desenvolver-se esta actividade na clandestinidade. O Sr. Faure precisou que assim arriscava-se retornar as mulheres ao seu destino, vincular-o de vantagem às redes proxénétisme e seguidamente de ver-o afastar-se dos centros de cuidados,eles querm mesmo acabar com o trabalho na rua se os clientes torarem esta multo com certeza quem trabalha na rua vai ver o trabalho diminuir porque uma multa de 3.553,00 é muito dinheiro ou tres meses de cadeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário