22 de ago de 2012

14/08/2012 Claudia Leitte não será mais a madrinha da Parada Gay da Bahia

"Deus me livre ter filho gay, o meu será bem criado." (Claudia Leitte)

Depois do desastroso anúncio de Claudia Leitte como madrinha da 11ª Parada Gay da Bahia, que acontecerá dia  9 de setembro em Salvador, o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), Marcelo Cerqueira, revelou que a sexóloga e senadora Marta Suplicy (PT), aceitou o convite para o posto.  Ele ressaltou as ações importantes de Marta pela causa LGBT como os motivos para escolhê-la como madrinha.

"Ela sempre foi parceira dos LGBTs no Brasil desde o extinto programa TV Mulher", declarou.

Desde que assumiu o mandato de senadora, Marta apresentou um importante pacote de projetos em defesa dos Direitos LGBTs. Por conta disso é respeitada e querida. Muito embora isso seja questionável, não podemos negar que Marta tem um papel representativo na luta pelos direitos dos cidadãos LGBTs.


Marcelo Cerqueira afirmou ainda que por todo seu trabalho em prol dos LGBT, "Marta é a digníssima Madrinha da Semana da Diversidade LGBT da Bahia e 11ª Parada LGBT. Por esses motivos ela é amada dos LGBT de todo o Brasil." Para completar, ele declarou estar feliz da vida por ela ter aceito o convite e completou: "Na próxima encarnação espiritual eu quero vir mulher e ser a Marta Suplicy, linda, loira, inteligente e parceira de todas as horas".

Marta precisou ajustar a  sua agenda lotada para prestigiar o convite da entidade. Idolatrada e tida pelos gays como a eterna  "Musa LGBT", ela chegará à cidade acompanhada do cabeleireiro Celso Kamura no dia do evento e vai embora logo em seguida.  Na ocasião receberá do GGB a faixa de madrinha e claro, discursará no trio oficial da entidade ao lado de Cerqueira e de Luiz Mott, fundador e presidente de honra do GGB.

Muitos podem até não concordar com o convite feito à senadora, mas com certeza a escolha de Marta faz muito mais sentido do que Claudia Leitte que, para não ficar mal na fita, deu a desculpa esfarrapada de que no mês de setembro estará de licença-maternidade. Sei não, acho que ela ficou mesmo foi com medo das ameaças de alguns que disseram na época que iriam participar do evento só para jogar ovos na cantora. Por outro lado, talvez o GGB tenha caído na real, e visto a burrada que estaria fazendo ao convidar a homofóbica artista. De qualquer forma, estamos livres desse encosto.

A Parada é uma das atividades da Semana da Diversidade Cultural LGBT de Salvador que acontece de 1 a 9 de setembro. A semana promete uma intensa mobilização cultural na cidade, inclusive com a presença do Festival Mix Brasil de filmes.  A festa promete reunir cerca de 12 trios elétricos com atrações musicais diversas e Dj's. Na praça do bairro do Campo Grande haverá um palco com shows de transformistas e atrações musicais e após  o evento, todos os caminhos levarão ao Pelourinho, onde as três praças terão apresentações organizadas pelo GGB.

Nenhum comentário:

Postar um comentário