18 de ago de 2012

Travesti sósia da Britney Spears é assassinada em Piracicaba(SP)‏

Uma travesti de 24 anos foi encontrada morta na madrugada desta sexta-feira (17), no quilômetro 43 da Rodovia Cornélio Pires (SP-127), que liga Piracicaba (SP) a Tie
tê (SP). Segundo a Polícia Civil, a vítima estava com marcas de três tiros: no peito, no rosto abaixo do nariz e uma de raspão na bochecha direita. O corpo estava no acostamento da estrada.

Ainda segundo a Polícia Civil, o corpo foi encontrado após uma denúncia anônima via 190. A travesti possuía uma tatuagem na coxa direita e outra, uma fênix negra, nas costas. Após ser reconhecido por um amigo, o corpo foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) de Piracicaba. O caso é investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG), pelo delegado Wilson Lavorenti. Nada foi levado dela, já que estava com a bolsa e pertences pessoais.

Para o autônomo Renner Silveira de Goes, de 18 anos, que reconheceu a travesti, a amiga era tranquila e não tinha inimigos. "Nem sei o que pensar, pois foi algo muito recente", afirmou. A polícia ainda não sabe o motivo do crime. Lavorenti foi procurado pela reportagem do G1 Piracicaba e região, mas não foi localizado por estar em ocorrência na manhã desta sexta.

7 comentários:

  1. Este fato lamentável carece de uma resposta melhor articulada e organizada por parte da luta por direito à cidadania de TRAVESTIS e TRANSEXUAIS. Considero fundamental tentar mobilizar para dentro dos próximos quinze dias , um dia de domingo pela tarde, manifestações pelo Brasil em repúdio a este crime bárbaro e demais crimes contra o SER TRAVESTIS e/ou TRANSEXUAL; a omissão da mídia diante do fato revela o pouco caso... Como se o ser travestis estivesse intrinsecamente ligado a ocorrências desta natureza! Nada tenho contra a caminhada ou marcha gay! Mas, entendo que a luta de travestis e transexuais é uma luta específica e que esta bandeira não é contemplada nestes eventos... São eventos que chegaram para ficar, é excelente que aconteçam, mas, penso que travestis e transexuais precisam tirar a "pecha de gay de si" - sabemos que muitas trans sobrevivem como travestis por questões de subsistência no comércio pelas ruas e outros artífices que existem... Nesta resistência muitas são mutiladas por imposição social, só pelo fato de precisar viver dignamente, terem que ser ativas para um "homem" por falta de alternativa social!!! E esta ausencia de alternativa está ligada a falta de políticas públicas de inclusão para travestis e transexuais, bem como a falta de políticas de combate a transfobia institucional - A forma macabra e perversa como tem acontecido as mortes de travestis e transexuais exige uma palavra publica por parte dos governantes deste país! Contem comigo... Se eu tiver como apoiar, estarei disposto e agradeço o espaço e a oportunidade para fazer este desabafo!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serginho obrigada pelas as palavras.

      Excluir
    2. Não sei quem é vc; agora, qualquer coisa pode mandar um email para mim... No entanto, penso que é preciso discutir, cada vez mais estas questões e buscar alternativas de combater na estrutura da sociedade o gérmem que alimenta comportamentos monstruosos como este! Algo que mais chamou atenção foi que: de imediato as suspeitas dapolícia círam sobre a possibilidade de uma outra travestis ter encomendado o crime; para depois, cair a ficha que o neo-nazismo é uma realidade que esta inserida entre nós e que em muitos casos se camufla como homo ou transfobia!

      Excluir
    3. Bom, eu sou a Giselle Meirelles Coordenadora do Grupo TransRevolução aonde discutimos sobre cidadania, inclusão e outras demandas do segmento de Travestis e ransexuais e também sou a Presidenta do Grupo Pela Vidda/RJ.Temos nossa reunião mensal justamente para discutir sobre o que vem acontecendo com as Trans em geral. Mande o seu e-mail para te enviar sobre a nossa reunião.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir