24 de ago de 2012

Projeto “Eu Existo”

2° Dia - Dia 22/08/2012 – Nesta manhã, as 8:45 horas, encontro com os meninos,  como de costume atrasadinha.
Hoje a manhã começou animada, beijinhos nos meninos como de costume, no rosto em gente por educação, os meninos já são comprometidos.
Vocês acreditam que o Bruno tem os olhos verdes? Nunca tinha percebido, depois faço umas fotos com ele e posto aqui.
O nervosismo e a ansiedade não eram tão fortes, o medo e a desconfiança nas lentes já não pareciam tão cruéis, acredito que estamos criando uma relação inicial de amizade, fizemos algumas fotos no metrô com grandes dificuldades, devido ao intenso movimento, depois fomos a costureira, na estação carioca, local comum, onde sempre faço pequenos retoques nas minhas roupas, nesse momento os meninos tiveram a oportunidade de dar alguns cliques com calma e em diferentes ângulos, e mais uma vez, podemos perceber no balcão da costureira o rosto dos  curiosos por ali aguardando suas vezes de serem atendidos, forçando suas mentes para tentarem lembrar, quem poderia ser essa pessoa sendo clicada na costureira por fotógrafos, será alguém da televisão? Mas qual programa ela faz? Curiosos momentos a parte com eles.
Nesse momento o Bruno se diverte, vendo as pessoas totalmente sem saber quem poderia ser eu, eu mesma, uma das mais famosas celebridades desconhecidas do mundo, celebridade simplesmente pelo fato de escolher minha identidade de gênero.
Falo, que nós transexuais e travestis, somos celebridades desconhecidas, pois nossa simples ida a padaria gera comoções, cochichos e piadas, muitas das vezes de péssimo gosto, por sinal.
Se ter o status de celebridade para nós, não é muito interessante, tendo em vista que toda celebridade é respeitada e admirada e não apenas apontada e criticada.
Você leitor, pode pensar: ”Sofrer críticas é normal para qualquer cidadão?” Porém no nosso caso não. Somos atacadas, agredidas de todas as formas, inclusive verbalmente e muitas de nós mortas pelo simples fato de assumir uma opção  dentro de uma sociedade
Saindo da costureira que ficava  dentro de uma das estações mais movimentadas do Rio de Janeiro, já correndo pois o tempo não anda corre ainda mas quando é hora de entrar no trabalho.
Fui ao banco resolvi algumas questões no caixa eletrônico, e depois rumo à barraca do “amigo” do biscoito, rapaz este que vende biscoitos de todas as marcas e todos os preços em uma banca sobre a calçada, calçada esta que fica localizada  em frente ao prédio que trabalho, no centro do Rio de Janeiro.
Nesse momento brincamos eu e os meninos, acho que vou ficar conhecida nessa região ao redor do trabalho, motivo este porque enquanto fazíamos as fotos na barraca, os outros barraqueiros que se encontravam ali por perto começaram a gritar e perguntar o que estava acontecendo e que queriam ser clicados também. E nesse momento o “amigo do biscoito” diz: vou sair ao lado do tufão rindo e brincando com os outros vendedores do local.
Depois dessa cena, saímos e os meninos me deixaram na porta do trabalho agora que venha a próxima quarta feira, ansiosa para saber o que me espera. Vida que segue. 
Tatiana Crispim

Nenhum comentário:

Postar um comentário