16 de dez de 2011

Argentina amplia direitos de policiais transexuais‏

Argentina amplia direitos de policiais transexuais

Desde a última semana, a transexual Angie Beatriz Alvárez pode vestir uniforme feminino e usar o banheiro das mulheres no trabalho

Desde a última semana, a transexual Angie Beatriz Alvárez, de 40 anos, pode usar uniforme feminino e usar o banheiro das mulheres no trabalho. Ela é uma das beneficiadas pela resolução do Ministério de Segurança da Argentina, que amplia os direitos dos policiais transexuais.
A resolução beneficia também as mulheres transexuais, que igualmente poderão vestir uniforme masculino e frequentar banheiros de homens. "Acho que agora mais gente terá coragem de sair do armário, coisa que já faço há mais de três anos", disse a policial à BBC Brasil.
A medida do Ministério de Segurança veio na mesma semana em que a Câmara dos Deputados da Argentina aprovou o direito à mudança de nome e de sexo nos documentos de identidade, na chamada lei de identidade de gênero. O texto ainda espera aprovação do Senado.
Saiba mais: Câmara argentina aprova projeto para mudança de sexo em documento
"Espero que aprovem essa lei, porque durante muito tempo, quando mostrava meu documento ao tentar alugar um apartamento, as pessoas me rejeitavam ao ver meu corpo feminino com nome masculino no papel. Agora, sou proprietária, mas espero poder mudar meu nome nos documentos", disse Angie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário