29 de nov de 2011

“1ª Roda de Conversa na Estácio de Sá com a população de Travestis e Transexuais com os Profissionais de Saúde”

Este evento foi realizado em parceria do PSF Lapa (Universidade Estácio de Sá) e o Grupo TransRevolução onde a intenção era de, aproxima os acadêmicos, estudantes de medicina ao  segmento de Travestis, Transexuais e Transgêneros para os instruir, orientar e capacitar esses futuros profissionais da área de saúde, a saberem lidar de forma mais sensível e respeitar sua orientação sexual e identidade de gênero  com esse publico tão especifico.
A reunião teve inicio as 15h17m com a apresentação de todos os que estavam presentes, após a apresentação a Drª Maria Tereza (Diretora da Universidade Estácio de Sá) deu as boas vindas aos que estavam ali e elogiou parabenizando a iniciativa da roda de conversa e disse ter boas expectativas e um resultado positivo daquele bate-papo que estaria sendo realizado. Que promovia á saúde e direitos humanos. Depois ela se despediu, já que tinha outro compromisso em sua agenda.
Em seguida a psicóloga Drª Eliane Carnot passou a palavra para Giselle Meirelles Coordenadora do Grupo TransRevolução e Vice Presidente do GPV (Grupo Pela Vidda/RJ), que falou da importância de um atendimento mais humano para todos, inclusive para o segmento de Travestis e Transexuais, deu exemplos de mal atendimento com historias de sua própria vida ilustrando a problemática a todos.



Luana Muniz Presidente da ONG “AGENTE”e Representante das Travestis e Transexuais do Estado do RJ, também colaborou com suas falas muito inteligentes e ricas em conhecimento de causa, dando contra resposta, excitando o ambiente deixando o embate mais quente e amistoso. Também nos participou das dificuldades que as travestis que trabalham como profissional do sexo a noite tem para estarem indo as instituições de saúde já que trabalham a madrugada inteira e se encontram casadas nas primeiras horas do dia, horas essa que elas aproveitam para dormi. E quando conseguem sair de casa para irem á busca de um atendimento médico se deparam com um profissional despreparado e mal informado que não sabe como receber essa paciente, que na grande maioria das vezes acaba não voltando mais.



A advogada Fátima Baião que presta serviços jurídicos a Centro de Referencia contra Homofobia no Estado do Rio de Janeiro na Secretaria de Serviço Social e direitos Humanos e que também presta consultoria ao GPV RJ, falou da importância dos conhecimentos básicos de lei para que se faça cumpri os direitos de todos os cidadãos com isso os das Travestis e Transexuais. De forma didática explicou que uma lei pra ser cumprida tem que chegar ao conhecimento de todos se referindo aos decretos de lei que foram aprovados esse ano tanto pela Prefeitura quanto Pelo Estado do RJ que toda pessoa Trans tem direito a ser tratada pelo nome SOCIAL (aquele que você prefere) nas Unidades de Saúde Municipal, Estadual e Federal ou em qualquer órgão da Administração Pública Direta ou Indireta do Estado do Rio de Janeiro e da cidade
do Rio de Janeiro.

Lorna Whasginton que é transformista e trabalha na noite a trinta anos e convive com Travestis já a um bom tempo, deu seu ponto de vista em relação ao fato das travestis não ficar à-vontade perante os médicos, em seguida citou um verso onde dizia que “para os olhos do mundo os LGBT: vegetaram!!!”.

 

Estiveram presentes para a roda de conversa, cinqüenta participantes dentre eles acadêmicos de medicina (psicologia, dentista e clínicos) e profissionais já formados, pessoas representando o poder jurídico e um grande número de Travestis e Transexuais representando o segmento. 





Beatriz cordeiro
Facilitadora Grupo TransRevolução
Obs.: O relatório foi revisado e confirmado pelo Grupo TransRevolução. A Facilitadora Beatriz Cordeiro ao logo de cada reunião vem aperfeiçoando com suas escrita e dedicação ao nosso trabalho de Cidadania, inclusão e Respeito. Além de realizar ou seja fazer os relatórios também participar de palestras representando o Grupo TransRevolução e o Segmento de Transexuais e Travestis...Afinal aos poucos vamos construindo um mundo melhor para todas nós...

Giselle Meirelles
Coordenadora TransRevolução

Nenhum comentário:

Postar um comentário