17 de set de 2011

Transexual espancada no Mc Donalds luta contra o medo crescente da violência, e diz que não perdoará suas agressoras.

                              A transexual Chrissy Polis (dir) e Teonna Brown, uma de suas agressoras.
 
ESTADOS UNIDOS - Em abril deste ano, a transexual Chrissy Polis, 22, foi fortemente agredida por Teonna Brown, 19, e uma amiga ao tentar usar o banheiro feminino de uma loja doMcDonalds, em Maryland. Polis foi arrastada pelos cabelos, e no meio do espancamento teve convulsões. Funcionários da loja gravaram toda a cena, e posteriormente jogaram o vídeo na internet. (reveja matéria aqui)
A agressora foi condenada ontem a cinco anos de prisão. Teonna já havia se declarado culpada na esperança de não ser condenada. Os juízes pediram dez anos de cadeia para a garota, mas foi sentenciado cinco anos com três em liberdade condicional.
Ao ser condenada, Teonna Brown pediu desculpas à vítima.Minha mãe não me educou assim. Eu realmente gostaria de pedir desculpas, declarou. O juiz que a condenou, John Grason, classificou a agressão contra Polis de "absolutamente ultrajante".
Apesar dos pedidos de desculpas, Chrissy Polis afirmou que não perdoará as duas garotas que a agrediram. Minha vida privada foi exposta ao mundo. Eu perdi o meu emprego. Eu não posso ir a qualquer lugar sem o medo de se agredida novamente. O meu desejo é entrar num buraco e me esconder, declarou Polis, que não compareceu ao julgamento.
No dia da agressão, Teonna Brown estava acompanhada de uma menor, que também bateu em Polis. A menor segue internada numa casa de detenção para jovens infratores. O empregado que filmou e tirou sarro da vítima foi demitido pelo McDonald's.

Nenhum comentário:

Postar um comentário